Guia Jaipur – O que você precisa saber antes de viajar para a Pink City, na Índia

por Francieli Hess
/ 20 dezembro 2018 / 2comentarios

Se você está em busca de uma experiência diferenciada na Índia, esse Guia Jaipur irá salvar sua vida. Inaugurando nossa nova série de posts sobre a Índia, listei 7 dicas práticas e sugestões imperdíveis para quem quer começar a planejar sua viagem já:

Guia Jaipur – Uma experiência exclusiva na Pink City

Também conhecida como Pink City (Cidade Rosa), Jaipur é a capital do Rajastão e conta com mais de 3 milhões de habitantes. Estou aqui desde o dia 22 de novembro de 2018, a trabalho, vivendo o melhor dos dois mundos indianos entre mercados de rua, fábricas e festas em palácios.

Jaipur é uma cidade mágica que nos faz viajar no tempo, com um pezinho no futuro. Pensando nisso, resolvi reunir uma série de dicas práticas para quem pretende visitar a cidade e viver uma experiência diferenciada, com dicas locais:

1. Explore a gastronomia indiana, mas não coma na rua.

Guia Jaipur – Caffé Palladio é um dos destinos imperdíveis para os amantes da gastronomia

Minha dica número um: nunca coma na rua. Talvez você seja um viajante experiente e mais resistente às bactérias, mas até mesmo meus amigos locais sofrem com algum probleminha de estômago vez ou outra, então é melhor não arriscar. Nem precisa. Jaipur reúne o melhor da gastronomia indiana e internacional em restaurantes de tirar o fôlego, todos com preço bastante acessível.

Por incrível que pareça, aqui não é comum encontrar mercados com prateleiras abarrotadas de produtos como no Brasil. Para ter um snack sempre na bolsa, eu recomendo que você passe no Shopper’s Paradise (F 40, Jamnalal Bajaj Marg, C Scheme, Ashok Nagar) e abasteça o carrinho com frutas secas, barrinhas de cereais e oleoginosas. Não se espante com o tamanho: esse mercado é realmente minúsculo, mas conta com uma boa seleção de produtos nacionais e importados.

PS: Em breve, um post com dicas dos melhores restaurantes de Jaipur. Aguarde.

2. Compre um chip indiano, wifi não é comum por aqui.

Assim que você chegar na India, vá até a Airtel e compre um chip indiano. A 4G aqui é incrivelmente barata e rápida, por cerca de 500 rúpias você consegue um plano com 3gb de dados POR DIA. Se possível, evite comprar o chip nos aeroportos. É muito mais caro e tanto eu quanto outros estrangeiros tivemos diversos problemas com o chip vendido no aeroporto de Delhi.

Como a internet móvel aqui é muito boa, a wifi acaba sendo escassa, então não recomendo depender inteiramente dela. Se você é um workaholic assim como eu, aproveite para conhecer o Blue Tokai (A-5, First Floor, Inside Suryavanshi Pearl, Near Chomuhouse Circle, Sardar Patel Marg, C Scheme). O café conta com um ambiente bem gostoso com wifi rápida, playlist calminha e mesas próximas à tomadas.

O Blue Tokai Coffee & Roasters é uma ótima parada para quem precisa de wifi e conforto

Além disso, o menu compacto traz com saladas, sanduíches, omeletes, waffles e bolos, perfeitos para acompanhar a seleção deliciosa de cafés da casa. Ah, e você pode optar por leite de soja, amêndoas ou leite sem lactose.

Outros cafés e restaurantes com wifi: Steopout Cafe, Caffé Palladio e Cafe Bae. Nem sempre a internet está funcionando. O melhor é ligar ou enviar uma mensagem pelo Facebook/Instagram perguntando antes.

3. Cuidado redobrado nos mercados, principalmente se você for mulher.

A Pink City é a parte mais antiga da cidade. Ela foi toda pintada de rosa (terracota, na verdade) em 1876, pelo Marajá Sawai Ram Singh, em razão da visita do Príncipe de Gales.

Rosa é a cor da hospitalidade para os indianos e a mulher do marajá gostou tanto da ideia que a escolha cromática foi regulamentada por lei.

 

O Hawa Mahal (Wind Palace) fica dentro das paredes muradas da Pink City, rodeado por bazares!

Dentro da Pink City você encontra alguns dos melhores bazaars: Johri, Tripolia e Bapu Bazaar. No entanto, cuidado redobrado por aqui. Evite ir aos mercados sozinha, fique sempre de olho na bolsa e muito atenta às pessoas ao seu redor.

Histórias de indianos apalpando estrangeiras nos mercados são comuns, infelizmente. Caso aconteça, grite bastante para que a comunidade possa ajudar, já que para eles é uma vergonha pública desrespeitar estrangeiras nas ruas.

Essa é uma dica repetida para mim tanto por amigos indianos, quanto por estrangeiras que moram aqui há mais tempo.

Se você estiver viajando sozinha, contrate um motorista de tuk tuk de confiança e peça para que ele lhe acompanhe durante todo o trajeto. Essa dica é valiosa, pois o motorista também poderá ajudar a negociar em hindi, conseguindo preços mais baixos.

4. Vegetarianos, venham sem medo. Veganos e intolerantes à lactose: perguntem sempre.

Falafel Tel Aviv no Jaipur Modern Kitchen – Opção lactovegetariana (peça pelo beetroot falafel).

A Índia é o paraíso do vegetarianismo e Jaipur não poderia ser diferente. Alguns dos lugares mais bacanas da cidade são inteiramente vegetarianos, como o Anokhi Cafe. Se você for conhecer, não deixe de passar na loja da Anokhi e garantir roupas e acessórios feitos à mão, estampados com carimbos de madeira na tradicional técnica block printing.

No entanto, o veganismo ainda é um termo confuso por aqui. Muitos lugares dividem seus menus em veg e non-veg, sendo o veg com ovos e leite. Apesar disso, não é difícil encontrar cafés com opções de leites vegetais. Na dúvida, a melhor opção é perguntar sempre, repetidas vezes e com bastante calma.

Eu sou extremamente intolerante à lactose no Brasil, mas na Índia não tenho problemas ao consumir produtos com leite.

5. Baixe o Zomato ou o Swiggy

Sabe o Ifood no Brasil? Pois então, por aqui temos o Zomato e o Swiggy. Todos os melhores restaurantes da cidade possuem delivery em algum deles e você acompanha todo o trajeto da comida pelo app.

O único problema para os estrangeiros é que, a menos que você tenha um cartão indiano, só vai conseguir pagar em cash na entrega.

No Zomato, é possível encontrar as avaliações tanto da comida quanto da higiene do local. Por favor, não esqueça da dica número 1 e sempre peça comida apenas de lugares de confiança!

6. Você não vai conseguir pagar nada online com cartão de crédito internacional. Traga dinheiro.

Suzanis e block prints precisam entrar na lista de compra dos apaixonados por moda!

A última dica também é muito importante. Um dos grandes problemas da Índia é a burocracia absurda para os estrangeiros. Por aqui, não conseguimos pagar nada online sem ter um cartão indiano. Prepare-se para esse mini estresse e troque bastante dinheiro, afinal você vai precisar.

No país, a economia é inteiramente movida na moeda e os impostos, assim como no Brasil, também são altíssimos. Muitos lugares não aceitam pagamento em cartão e, nos que aceitam, o valor é acrescido da taxa GST que varia de acordo com o tipo de produto que você está comprando. Essa taxa varia de 5% até 18%, então, se a ideia é economizar, pague em cash.

Ah, sabe aquela tranquilidade de comprar passagens de ônibus e trem online? Pode esquecer. Você não vai conseguir finalizar o pagamento. Procure uma agência de viagem ou vá até a estação para garantir as suas.

7. Viajando de ônibus ou trem pela Índia? Escolha sempre First A.C sleeper (1A).

Para garantir seu conforto e segurança, sempre escolha First AC Sleeper (1A) na hora de reservar as passagens. Essa é a primeira classe, com cabines que são como quartos individuais.

Na 1A você vai encontrar muitos estrangeiros e também indianos, fica mais fácil se comunicar em inglês e a segurança é garantida. Lembre-se de sempre comprar as passagens com no mínimo 12h de antecedência para os trens.

Como é impossível pagar online com cartão internacional, reserve um tempinho para ir até a estação ou então peça no hotel por indicações de agentes de viagem para ajudar.

 

20 dezembro 2018
Francieli Hess

Francieli Hess

Francieli Hess é formada em Design de Moda pela UDESC e já estudou Cultura e Progettazione della Moda em Florença. Trabalha como estilista freelancer em Florianópolis e é apaixonada por criação, história, branding e comunicação. Instagram: @fvhess