Rainhas da África – Bonecas negras desbancam Barbie

por Samantha Mahawasala
/ 21 janeiro 2014 / 2comentarios

Há alguns anos o nigeriano Taofick Okoya percebeu que não existiam bonecas negras para ele comprar de presente para a sua sobrinha – foi aí que ele percebeu uma brecha no mercado para se tornar um empreendedor num país com a economia em ascensão e um enorme número de crianças negras que se identificariam com a proposta.

Decidido a criar seu próprio negócio, encomendou peças da China, montou em seu país e acrescentou um charme a mais – trajes típicos da região. Hoje, sete anos depois, Okoya  tem duas linhas de bonecas negras, a “Rainhas da África” e “Princesas de Naija”, que juntas vendem de seis a nove mil bonecas por mês e representam de 10% a 15% de um mercado pequeno, mas em acelerada expansão.

Na Nigéria as bonecas rainhas africanas são sucesso absoluto e já deixaram as Barbies da Mattel no chinelo. Hoje elas já são exportadas para os EUA e Europa e Okoya atualmente está em negociação com uma subsidiária do Walmart para inserir seu produto em mais de 70 lojas. O planejamento agora é desenvolver bonecas alusivas a outros grupos étnicos africanos.

Veja também: Geração Tombamento e o empoderamento negro através da moda.


Bonecas negras desbancam a Barbie na Nigéria.


Bonecas negras desbancam a Barbie na Nigéria.


Bonecas negras desbancam a Barbie na Nigéria.

Veja também:

Vestidos de festa africanos – Tendências em moda festa: criações étnicas cheias de estilo e bom gostoVestidos de festa africanos – Tendências em moda festa: criações étnicas cheias de estilo Fashion Rebels, os fashionistas que querem colocar Pretória no mapa da moda
Fashion Rebels – Fashionistas que colocaram Pretória no mapa da moda

Fashion Rebels, os fashionistas que querem colocar Pretória no mapa da modaGeração Tombamento e o empoderamento negro através da moda


Taofick Okoya, o empreendedor das Rainhas da África e Princesas de Naija.


Bonecas negras na Nigéria – Rainhas da África e Princesas de Naija.

Fotos: Estadão e UOL

 

Salvar

Salvar

Salvar

21 janeiro 2014
Samantha Mahawasala

Samantha Mahawasala

Paulistana formada em jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo e com curso técnico de locução pela Rádioficina. Atuou como redatora e locutora no Grupo Bandeirantes de Rádio e também como repórter para um telejornal segmentado.