Entrevista Fabio Queiroz – Trajetória e dicas do promoter dos eventos mais badalados de SP

por Denise Pitta
/ 05 fevereiro 2019 / 1comentarios

Nós do Fashion Bubbles adoramos boas histórias e esta semana tivemos a oportunidade de conhecer e bater um papo com Fabio Queiroz (@byfabioqueiroz), assessor de eventos responsável pela lista de convidados de alguns dos eventos mais badalados de São Paulo.

Fabio começou sua carreira cuidando da agenda do Paulo Borges, idealizador da SPFW,  Semana de Moda de São Paulo. Hoje é promoter e sócio do Hotel-boutique Guest Urban.

Sua empresa de assessoria de eventos, há 12 anos no mercado, é focada no envio de mailing para vips, profissionais de moda, celebridades, executivos de bens de consumo e serviços, enfim, os formadores de opinião.

Entre seus principais clientes estão nomes importantes como o Morumbi Shopping, Melissa, SPFW, Diesel, Vivo, Levi’s e Lacoste.

 

Trajetória, dicas e segredos do Fabio Queiroz, um dos assessores de evento mais importantes de SP

Foto: Patrícia Magalhães  – Já conhece nosso Instagram? Siga a gente e fique por dentro das novidades e tendências da moda : @fashionbubblesoficial .

Como tudo começou

 

FB – O que o levou a trabalhar na moda, assessorando Paulo Borges na SPFW?

Fabio Queiroz – Eu morava com o DJ Zé Pedro, que fazia trilhas sonoras para alguns desfiles de Paulo Borges, de quem também fiquei amigo. Um dia ele me perguntou se eu tinha alguma indicação, pois ele estava em uma transição e ficaria sem seu assistente.

Eu me ofereci à vaga.

Fizemos um desfile em Campo Grande e na volta ele espalhou na mesa seus telefones, suas agendas de contatos e disparou:

– Fale com fulano, sicrano, beltrano… E assim tudo começou.

FB – Parece simples? A dica aqui é cultivar boas relações – é daí que aparecem as oportunidades – e, é lógico, ter competência. Fábio viu uma oportunidade e a agarrou na hora, tendo iniciativa e perspicácia.

FB – Você tinha alguma formação na moda?

Fabio Queiroz – Eu já gostava de moda, mas ainda não tinha nenhuma formação. Na época eu trabalhava em uma empresa de telemarketing.

FB – Como foi viver os bastidores do maior evento de moda da América Latina, a SPFW?

Fábio Queiroz – Eu era um assistente que mais parecia uma sombra do Paulo Borges: naquele período ele trabalhava somente com a irmã dele, Graça Borges, eu e uma secretária.

Essa era a estrutura da produtora dele, então era uma loucura, porque cuidávamos dos patrocinadores, dos estilistas e de tudo o que vem atrás disso: maquiadores, fotógrafos, modelos, agências de moda. E éramos só nós!

Apenas durante o evento é que entravam mais pessoas para trabalhar. Obviamente a equipe é imensa, pois tem a parte de produção, backstage, maquiadores, produtores de campo responsáveis por levantar o evento.  Então era sempre uma correria.

A SPFW acontecia a cada seis meses e a gente começava a trabalhar no quarto mês. Isto é, quatro meses antes daquela edição, já estávamos a todo o vapor para a próxima.

Tínhamos um intervalo muito pequeno de tranquilidade.

Enfim, representava um trabalho imenso, fora administrar a “estrela” de cada um, administrar a vaidade de cada um…

FB – Como era administrar todas essas vaidades?

Fábio Queiroz – Isso o Paulo fazia muito bem. Eu ficava observando: o cara é incrível, pois eram coisas de última hora, principalmente a parte de calendário, horário de desfile…

Era um pouco contornar a situação, mas de um jeito que todo mundo ficasse, no mínimo, satisfeito no final, para o calendário acontecer e ficar bacana.

Foto: Patrícia Magalhães (@patriciamgs)

A vida como Relações Públicas (RP)

 

FB – Como promoter, como é ser responsável pela lista de convidados das festas mais disputadas de São Paulo? Você também era responsável por esta lista nos eventos da SPFW? Como foi essa transição?

Fábio Queiroz – Não, por essa lista eu não era responsável. Por ter trabalhado com moda por anos, acabei conhecendo as pessoas importantes envolvidas e os novos profissionais que vinham também. Fossem eles convidados, investidores, empresários, modelos, artistas…

Eu organizei isso tudo num arquivo meu, onde só eu atualizava: se a pessoa se casasse, separasse, os novos nomes que apareciam no mercado, se a pessoa se mudou…. Eu atualizava tudo isso sozinho.

Vale frisar que minha lista é de 99% de pessoas que eu conheço pessoalmente. Conheço o perfil da pessoa, a profissão, o que ela faz como hobby, do que ela gosta e do que não gosta. Isso facilita meu trabalho pois não é um mailing de 15 mil nomes. Tem “apenas” dois mil nomes ativos.

Eu prefiro manter deste tamanho, porque acaba criando círculo real de relacionamento com as pessoas, construindo um lastro.

Circular sempre, é também uma forma de manter o relacionamento com seus contatos. Situações sociais como música, arte, moda, gastronomia. Prestigiando o trabalho daquelas pessoas conhecidas.

FB – Neste ponto se engana quem acredita que basta uma “lista de contatos”. Manter uma relação com sua lista sempre foi fundamental para o sucesso dos eventos. Quem casou com quem? Quem brigou com quem? Quem pode facilitar o empreendimento de quem? Em resumo, colocar as pessoas certas, nos lugares certos fará uma enorme diferença.

A transição para sócio de hotel

 

FB – Moda, Promoter e agora também sócio num hotel-boutique, o Guest Urban? Como foi este salto?

Fábio Queiroz – Eu já trabalhava há nove anos como RP (relações públicas) e meu sócio, Demian Figueiredo, tinha um buffet. Estávamos naquela transição: felizes, tudo certo no trabalho, cada um na sua área, mas querendo um algo mais.

Foi quando uma amiga e consultora, a Cris Soares, nos procurou e ofereceu uma oportunidade: já existia um formato de hotel em que ela tinha cuidado da administração – ela tem uma empresa, Oficina 3, que é uma empresa de administração de hotéis, negócios, bares e restaurantes.

Ela nos apresentou uma oportunidade e o olho brilhou, porque o Demian é formado em hotelaria, eu não sou formado nisso, em minha empresa, eu trabalhava como RP, mas eu estava naquele momento querendo fazer uma novidade.

A princípio fizemos um descritivo do hotel, com uma ideia do que a gente queria, do que a gente sentia falta. Percebemos que São Paulo ainda não tinha um hotel pequeno e mais íntimo, que já é muito comum em outras capitais, como Londres e Buenos Aires.

A gente viaja e fica em hotéis com esse perfil, então foi fácil nesse sentido, idealizar o negócio.

FB – De novo Fábio nos deu uma resposta simples. Antes de um negócio se tornar o que é, ele é um sonho (O olho brilha). Mas, tem o talento de gestão, treinamento, planilha de custos, preço de mercado, foco no cliente, localização, diferenciais…

Ah! Não se engane, não há sorte, há empenho e muito critério na construção de um negócio.

Hotel Boutique Guest Urban.

FB – A experiência da moda e de promoter tem ajudado a alavancar o Guest Urban?

Fábio Queiroz –  Eu achei que fosse ter mais, na verdade. O que foi bacana, é ter sido um projeto muito a quatro mãos. Quando entramos em contato com as meninas da arquitetura do Substudio, acompanhamos o projeto desde o começo e tem muito uma pegada do nosso relacionamento com essas pessoas.

Por outro lado, percebemos que o hóspede entra aqui, faz o check in, vai para o quarto dele e não quer mais conversa…

Ele tem já o mundo dele, as suas vontades, os seus quereres por São Paulo. Assim o fato de ser RP, não influenciou muito não, foi muito mais pela questão de relacionamento da minha parte.

Por exemplo, conhecer assessoras de imprensa, e elas têm muitos clientes de fora do Brasil, então de vez em quando, eu faço uma lembrança a elas. Fica mais neste campo do relacionamento, de conhecer as pessoas, as empresas e marcas e divulgar o hotel.

FB – Minha impressão é que começamos um negócio acreditando na nossa capacidade, nas pessoas que nos rodeiam e que poderão colaborar. Mas, no fim, o negócio sobrevive pelo seu bom planejamento e execução.

Um bom Business Plan requer um plano, caso haja algo errado que nunca foi exposto, quando se está em lua-de-mel com o “sonho”.

FB – Quais os diferenciais no Guest Urban?

Fábio Queiroz – Toda vez que viajo, gosto de ficar em um lugar mais simples e aconchegante, não com cara de prédio bege, com aquelas cores e quarto impessoal.

Assim procuro me hopedar, ou mesmo no Airbnb, sempre procurei ficar em hotéis com essa cara da casa de alguém e o hotel possui exatamente essa ideia: por ser uma casa e ter essa disponibilidade do terreno físico, a gente conseguiu mapear 14 suítes.

Todos os quartos são suítes. Sabemos que o brasileiro não está muito acostumado a compartilhar banheiro, então tínhamos essa preocupação. O resto foi para que o hóspede sentisse como se estivesse hospedado na casa de alguém.

Dicas de carreira

 

FB – Você, como empreendedor, que dicas daria a quem está começando na carreira ou num novo projeto?

Fábio Queiroz – Paciência. No caso de um hotel como o nosso, foram muitas idas e vindas nos órgãos governamentais para conseguir as licenças, autorizações, isso e aquilo… Mas é claro que este é um particular desse negócio.

No mais, é necessário ter persistência, capacidade técnica, conhecimento de gestão de pessoas e financeira…

FB – Que características ou habilidades da sua personalidade você acredita que colaboraram para sua trajetória de sucesso, sempre trabalhando com grandes marcas?

Fábio Queiroz – Quando fui trabalhar com o Paulo, ele procurava uma pessoa que fosse organizada e de postura. Você não pode titubear, não pode ser sempre engraçado. Tem que levar as coisas sempre muito a sério e eu sempre fui muito sério, principalmente com o trabalho.

Eu sabia que ia ser cobrado, lá na frente…

Uma dica, é você saber o que você quer e aí fazer seu melhor com isso.

No meu caso, eu fui conhecendo as pessoas. Você cria uma certa intimidade, mas você sabe qual que é o limite.

E se eu fosse dar uma dica importante, é ser claro nas suas coisas, nas suas vontades.

Definitivamente a postura profissional sempre conta. Por mais que eu esteja nas melhores festas, nos melhores lugares, é trabalho, então você tem que ter, sempre uma postura profissional ou esclarecida nessa hora.

Foto: Patrícia Magalhães

FB – Moda, Promoter, Hotel… Todas estas coisas mexem com a fantasia das pessoas, Você teria uma boa história (divertida, curiosa) para nos contar?

Fábio Queiroz – Certa vez eu fiz a lista de convidados para um show da Madonna. Pessoas que teriam acesso ao backstage. Eu era fã. Super fã. Hiper fã. Poderia então ter acesso ao camarote e a ela. Sabe o que é isso para um fã?

FB – E aí? Como foi conhecê-la pessoalmente? Que impressão teve?

Fábio Queiroz – Não fui. Meu compromisso era com os convidados.

FB – Como ouvinte, essa resposta foi uma decepção! Queria ouvir algo picante, divertido, surpreendente. Mas o que ele priorizou foi o profissionalismo.

Ninguém chega ao topo com deslumbramento ou imaturidade. Enfim o Fábio é fã da Madonna e nós nos tornamos fã do Fabio!

   
Fabio Queiroz e Denise Pitta

Por Denise Pitta e Vinícius Moura para o Portal Fashion Bubbles.

 

Instagram

Já conhece nosso Instagram? Siga a gente e fique por dentro das novidades e tendências da moda @fashionbubblesoficial .

Créditos

Fotos: Patrícia Magalhães (@patriciamgs), no comando do Studio Valentina ( @valentina_studio), é fotógrafa de Portrait, Glamour e Editorial, fotografando projetos especiais por todo o mundo, principalmente Oriente Médio.

Agradecimentos: Erika Balbino da Baobá Comunicações que foi super querida e nos colocou em contato. Valeu Erika!

Saiba mais sobre o Guest Urban Hotel

O local da ewntrevista foi o hotel-boutique Guest Urban ( @guesturban ) que tem a cara de São Paulo. Erguido num sobrado da década de 1960, de 450m 2 totalmente restaurado e localizado na Rua Lisboa, distante apenas uma quadra da efervescente Praça Benedito Calixto, no bairro de Pinheiros, em São Paulo.

Por ter um ambiente moderno e intimista, a ideia do Guest Urban, é que o hóspede se sinta como se estivesse hospedado na casa de alguém. Idealizado pelos proprietários Fábio Queiroz e Demian Figueiredo, o intimista hotel-boutique tem um ótimo custo-benefício e ainda permite ao hóspede se conectar totalmente à cidade.

O projeto de arquitetura do Guest Urban é assinado pelo Substudio, de Isabel Nassif e Renata Pedrosa, escritório que também está por trás de projetos de grande reconhecimento, como os da Galeria Baró e do Bar Mandíbula.

O décor tem o toque de Carla de Lima Ribeiro, da Pair Office, que garimpou peças únicas e móveis com história para os três andares da propriedade.

Internamente, e espalhadas por todos os ambientes, obras de arte da Compota Edições Ltda. que estão à venda e garantirão completa fusão com a arte e constante transformação.

Gostou? Curta, compartilha, siga nossa Instagram @fashionbubblesoficial!

05 fevereiro 2019
Denise Pitta

Denise Pitta

Denise Pitta é digital influencer e empreendedora. Idealizadora do Fashion Bubbles, é também editora chefe do portal que já recebeu mais de 107 milhões de visitas. Estilista, formada em Moda e Artes Plásticas, atuou em diversas confecções e teve marca própria de lingeries, a Lility. Começou o blog em 2006 e está entre as primeiras blogueiras brasileiras da moda. Também desenvolve pesquisas sobre História e Identidade Brasileira na Moda e Psicologia Analítica. É apaixonada por filosofia, física quântica, psicanálise e política. Siga Denise no Instagram: @denisepitta e @fashionbubblesoficial