!!Bubbles – Conheça a história do Champagne

por Josana Mendes
/ 26 maio 2009 / 6comentarios

“Venha rápido, estou degustando as estrelas!” – Dizia Dom Pérignon no momento em que descobriu o Champagne.

O Champagne é o único vinho que todos, sem exceção, param para sentí-lo antes de degustá-lo. É um sentimento único sentir as bolhas alcançarem a pele antes de descobrir seu sabor. Impossível encontrar outro vinho que tenha imagem tão alegre e festiva, afinal, na vitória merecemos! Napoleão Bonaparte usava o Champagne da mesma forma que garotas tristes usam o sorvete, ele dizia “Bebo também Champagne quando perco, para me consolar.”

O nome ‘Champagne’ deriva do latim ‘campus’/’campania’ que quer dizer ‘campo’. Do latim surgiu a  palavra no velho francês ‘Champaign’, e finalmente evoluiu para a palavra ‘Champagne’.

regiao-de-champagne

Região de Champagne

Champagne é uma região da França, portanto o vinho espumante só contém a nominação ‘Champagne’ se ele provém dessa região no nordeste do país, que aliás foi primordial para sua criação.

mapa-da-franca-separado-por-regioes

Mapa da França separado por regiões

O frio da região cria um amadurecimento lento dos frutos e isso confere uma alta acidez, importante para o processo lento de envelhecimento do Champagne. O solo com muito cal também ajuda fabricar esse vinho ímpar. Essa era uma região de vinhos tintos fabricados no outono e estabilizados no inverno, e o frio interrompia a fermentação. Durante a primavera os vinhos eram aquecidos para retomar a fermentação, gerando um efervencência e tornavam vinhos frisantes que virou moda na Inglaterra no século XVII. Com esse segundo processo de fermentação muitas garrafas também explodiam (era conhecido como vinho do diabo) e muito era perdido.

primeira-pintura-que-o-champgne-aparece

Primeira pintura que o Champgne aparece – “Le Déjeuner d’huîtres” (Almoço com ostras) de Jean François de Troy – 1735

No provoado de Hautvillers, próximo de Epernay, capital da região de Champagne, os monges Dom Pérignon e Dom Ruinart se esforçavam para conseguir desenvolver um melhor processo na fermentação da primavera, para que as garrafas não explodissem mais.

pintura-de-armand-guery-de-1714

Pintura de Armand Guery de 1714 – “Dom Pérignon descobre as bolhas do Champagne”

Em 1670, após muito estudo, os monges chegaram a cinco conclusões:

– A mistura de diferentes vinhos da região, conseguindo assim um produto mais harmonioso.

– Separação e prensagem em separado das uvas pretas que predominam em Champagne, obtendo assim um cristalino sumo de uva.

– O uso de garrafas de vidro mais espesso para melhor permitirem a pressão da segunda fermentação em garrafa. As garrafas eram importadas da Inglaterra.

– O uso da rolha de cortiça, vinda de Espanha, que permitiu substituir o anterior sistema, pauzinhos de cânhamo embebidos em azeite.

– A escavação de profundas adegas, hoje galerias com vários quilômetros de extensão e usadas por todos os produtores, para permitir o repouso e envelhecimento do champanhe a uma temperatura constante.

fechando-a-rolha-de-uma-garrafa-de-champagne-em-1855

Fechando a rolha de uma garrafa de Champagne em 1855

Voilá!! Nascia o Champagne!

nascia-o-champagne

No século XVII, eles tinham a produção perfeita do Champagne da forma que o conhecemos hoje, mas faltava a fama! E novamente, graças à região, isso foi possível. O fato é que a cidade de Reims, que faz parte da região de Champagne, é o local onde todos grandes reis da França foram coroados. A coroação acontecia na Catedral de Notre-Dame de Reims, e em todas comemorações era servido Champagne à vontade, ficou então conhecido como o vinho dos reis e ficou muito apreciado pelo seu gosto e fineza, as garrafas eram oferecidas nas visitas monarquicas.

Resumindo, a natureza do Champagne é marcada pelo solo, clima e hoje em dia três uvas viníferas. Duas variedades tintas, Pinot Noir* que traz corpo e longevidade e Pinot Meunier, responsável pela sutileza aromática. E o vinho branco Chardonnay** que carrega leveza, caráter e elegância. Em algumas produções são utilizados outros tipos de cepas.

uvas-chardonnay

uvas-pinot-noir

uvas-pinot-meunier

Uvas Chardonnay          /        Uvas Pinot Noir               /      Uvas Pinot Meunier

*Pinot Noir – uvas negras que tem origem em Borgonha (região francesa) – tem cultivo exigente e é sensível às pragas. Produz vinhos de cor menos intensas, com muita sutileza olfativa de frutas vermelhas. Tem boa acidez e ótimo paladar. Cria personalidade, estrutura e caráter com o passar do tempo.

**Chardonnay – Uva branca da Borgonha. Destaca pela excelente qualidade, leveza e toque aromático aos seus vinhos. Seus aromas podem remeter a maçã, abacaxi, mel e nozes.

Bom, no Fashion Bubbles, além de conhecer sobre tudo da moda, é importante entender sobre as ‘bubbles’, aliás, quer bebida mais fashion que Champagne?

champagne

Por Josana Mendes

26 maio 2009
Josana Mendes

Josana Mendes

Josana é jornalista.