Começa a festa da 20ª Bienal do Livro em São Paulo

por Colaboradores
/ 15 agosto 2008 / 1comentarios

livro

Mais de 2 milhões de livros à venda, 4 mil lançamentos, 210 mil títulos, 1 atividade cultural a cada 3 minutos, 50 autores estrangeiros, 220 convidados nacionais, expectativa de 800 mil visitantes.

Os números dão a dimensão da 20ª Bienal Internacional do Livro, a maior feira já realizada, que começou ontem (14) e vai até o dia 24 de agosto. Para facilitar o acesso, a organização vai manter ônibus gratuitos para o pavilhão do Anhembi a partir do Metrô Tietê.

É um programa para toda a família. Pais com filhos pequenos têm à disposição, gratuitamente, carrinhos e bebê e fraldário. As crianças e jovens podem se divertir no espaço infanto-juvenil Ler é a Minha Praia e nos estandes das mais de 80 editoras com atividades e livros para este público.

01529087400

Em um pavilhão repleto de livros há também espaço para os contadores de histórias, como Célia Gomes, que divertia uma pequena platéia com contos, brincadeiras e música. Foto: Carolina Iskandarian/G1

O evento dispõe de uma ampla praça de alimentação com mais de 2 mil metros quadrados e mais de 10 estabelecimentos, com vários tipos de cardápio. Uma área para “Crianças Perdidas” oferece entretenimento para os pequenos enquanto aguardam a chegada dos responsáveis.

Pessoas com dificuldade de locomoção podem solicitar gratuitamente cadeiras de rodas ou carrinhos elétricos. O pavilhão também dispõe de caixas eletrônicos dos bancos HSBC, Itaú, Bradesco e Banco 24 Horas.

Quem quiser conhecer de perto seu autor preferido e bater um papo com ele, pode participar das sessões do Salão de Idéias Volkswagen e do Espaço Literário Ipiranga. Professores e universitários têm uma rica programação para incrementar seus conhecimentos com os mestres e profissionais renomados do Fala, Professor! Submarino e do Espaço Universitário HSBC.

Entre os grandes lançamentos do mercado editorial e uma enorme quantidade de títulos, os visitantes da Bienal do Livro 2008 podem se divertir também com outras “curiosidades”. Por exemplo, o estande da Ediouro/Coquetel apresenta a maior palavra-cruzada direta e o maior caça-palavras do mundo, em painéis que permitem a participação do público. A editora também expõe um livro gigante do Pequeno Príncipe.

015292664-ex00

Amanda se diverte com “O Pequeno príncipe” de 2 metros (Foto: Carolina Iskandarian/ G1)

A Escrituras, em comemoração ao centenário da imigração japonesa para o Brasil, expõe, entre seus títulos sobre o tema, um mega-origami com 57 cm de altura. Há também na Bienal o menor jornal do mundo (Vossa Senhoria) e os menores livros do mundo (Minibooks).

Os visitantes também podem conhecer uma variedade de áudio livros e ter contato com algumas raridades presentes no estande do Sebo do Messias.

Muita cultura, leitura e diversão aguardam os visitantes da 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. A entrada custa R$ 10, estudantes e aposentados pagam meia, pessoas com deficiência, menores de 12 anos, maiores de 65 e profissionais do livro não pagam.

015292669-ex00

Espaço “Ler é a minha praia” é dedicado ao público infanto-juvenil / Foto: Carolina Iskandarian/ G1

015293150-ex00

Crianças na seção infantil: “Difícil escolher no meio de tantas opções” (Foto: Carolina Iskandarian/ G1 )

História

A primeira Bienal Internacional do Livro de São Paulo organizada pela Câmara Brasileira do Livro aconteceu entre 15 e 30 de agosto de 1970, no Pavilhão da Bienal, no Ibirapuera, em decorrência de um projeto que se iniciou na década de 50. Nessa época, mais precisamente em 1951, com o intuito de introduzir no País a tradição européia das feiras de livros encontradas na França, na Alemanha e na Itália, a CBL promoveu a 1ª Feira Popular do Livro, na praça da República.

A experiência foi retomada em 1956 e deslocada para o Viaduto do Chá, ponto ainda mais central da capital paulista e de grande fluxo de pedestres. O projeto foi ganhando corpo e novos adeptos. Em 1961, em parceria com o Museu de Arte de São Paulo, foi promovida a 1ª Bienal Internacional do Livro e das Artes Gráficas, evento que se repetiu em 1963 e 1965. Eles serviram de ensaio para a 1ª Bienal Internacional do Livro promovida exclusivamente pela CBL, em 1970.

Em 1996, o evento passou a ser realizado no Expo Center Norte para abrigar um maior número de expositores e proporcionar mais conforto ao público. Em razão do crescimento contínuo de público e expositores, em 2002 foi transferido para o Centro de Exposições Imigrantes, com 45 mil m². Dando provas de seu contínuo sucesso e maturidade profissional, desde 2006 a Bienal do Livro de São Paulo é realizada no Pavilhão de Exposições do Anhembi, maior e mais tradicional local de eventos de negócios da América Latina.

Serviço:

20a BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO
Data: de 14 a 24 de agosto de 2008
Horário: das 10h às 22h

Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – São Paulo – SP

Promoção: CBL – Câmara Brasileira do Livro
Organização e Realização: Francal Feiras
www.bienaldolivrosp.com.br

Fonte: Divulgação

Por Diego Carvalho

15 agosto 2008
Colaboradores

Colaboradores

Colaboradores do Fashion Bubbles